RELAÇÃO DE PONTOS DE DISTRIBUIÇÃO

  • Prefeitura de São Bernardo do Campo


São Bernardo tinha fábrica de charutos no passado


A fábrica de charutos de Ítalo Stefanini funcionou entre 1896 e 1905 na Rua Américo Brasiliense, localizada na região central da cidade. O italiano Stefanini, seu proprietário, foi intendente municipal (autoridade máxima do município na época, com funções parecidas com as do atual cargo de prefeito) entre 1899 e 1901. Esta foi uma das primeiras indústrias do município e chegou empregar por volta de 30 trabalhadores, em sua maioria do sexo feminino.

Outra fábrica de charutos ativa em São Bernardo do Campo na época era A Delícia, que funcionou entre 1900 e 1919 na Rua Marechal Deodoro, provavelmente no quarteirão completado pelas ruas Alferes Bonilha, Silva Jardim e Américo Brasiliense.

O estabelecimento pertenceu ao industrial italiano Ítalo Setti, que era também dono da tecelagem Vila de S. Bernardo. Esta indústria chegou a ter seus produtos distribuídos no interior do Estado e a empregar cerca de 40 funcionários, na maior parte jovens mulheres.

Outra importante empresa foi a Carlos Prugner, uma das primeiras do velho município de São Bernardo (que abrangia todo o atual ABC). Na década de 1900, ela produzia cerveja e licores. Funcionou entre 1890 e 1913 na Rua Marechal Deodoro, nas proximidades do cruzamento com a rua Dr. Fláquer. Em 1907, foi uma das nove empresas da região registradas no primeiro censo industrial realizado no Brasil. Segundo informações do documento, a fábrica do imigrante alemão era de dimensões reduzidas, sem máquinas a vapor, com um pequeno capital e apenas três operários.

 

Exposição

De povoado a município: O homem transformando o meio

São Bernardo do Campo é uma cidade com imensas avenidas, grandes indústrias, edifícios, casas, praças, automóveis e muita gente! O espaço físico que outrora não evidenciava uma predominância urbana se apresenta essencialmente urbanizado. Nesse processo, o meio ambiente natural nem sempre encontrou espaços para resistir aos espaços construídos. Esta exposição faz uma panorâmica sobre o processo histórico que transformou a paisagem da cidade, das permanências e destruições que contam um pouco da memória de São Bernardo do Campo e seus moradores. Câmara de Cultura Antonino Assumpção. Visitação de até o dia 31, segunda a sexta, das 9h às 17h, sábado, das 9h às 14h

 

Legenda:

Vista da cidade na década de 1950. Col. Bernardo Di Favari. Acervo da Seção de Pesquisa e Documentação (Memória) - PMSBC

 

Exposição

Freguesia de São Bernardo – Retratos da região no século XIX

No ano de 1812, o então Príncipe Regente Dom João VI desmembrou da Paróquia da Sé paulistana o território do antigo bairro de São Bernardo (que englobava o atual ABC Paulista), transformando-o em Freguesia, denominação que duraria até 1890, data em que seria elevado a município. Diversos aspectos da vida local neste período são apresentados nesta exposição, que faz uso tanto do material de pinturas e desenhos produzidos por visitantes que passaram pela região na época, quanto de fotografias que registraram, num período posterior, edificações e outros elementos remanescentes daquele tempo.  Câmara de Cultura Antonino Assumpção. Visitação até o dia 31, segunda a sexta, das 9h às 17h, sábado, das 9h às 12h

 

Legenda:

Aldeia de São Bernardo entre São Paulo e Santos, 1827. William John Burchell

 

Conversas de memória

Encontros mensais com memorialistas e moradores da cidade – antigos e novos – interessados na memória local. É um momento para os participantes relatarem suas memórias, leituras e releituras dos momentos vividos no cotidiano da cidade, compondo a sua "memória coletiva". Os encontros objetivam contribuir para a identificação de documentos do acervo, indicação de novas fontes de pesquisa e de depoimentos para o banco de história oral da Seção de Pesquisa e Documentação.  Seção de Pesquisa e Documentação (Memória). Dia 30, 14h

 

Visitas monitoradas

Agendamento de visitas monitoradas para grupos organizados e escolares às exposições abertas ao público na Câmara de Cultura por meio dos telefones 4125-5577 e 4123-8858. Seção de Pesquisa e Documentação (Memória)

 

Acervo especializado sobre a história de São Bernardo do Campo e do ABC

Disponibilização para consulta e pesquisa no local e itens para empréstimo. O acervo possui livros, jornais, revistas, fitas de vídeo e cassete, DVDs, hemeroteca, fotografias e mapas, entre outros. Atendimento a estudantes da rede municipal, estadual e particular de ensino em vários níveis, alunos do ensino superior, pesquisadores (acadêmicos ou não), grupos específicos e comunidades em geral. Seção de Pesquisa e Documentação (Memória). Horário de atendimento: segunda a sexta, das 8h30 às 17h

 

Exposições itinerantes

Com o intuito de divulgar seu acervo e a memória da cidade, a Seção de Pesquisa e Documentação promove o empréstimo de suas exposições para escolas e entidades.

Elaboradas em formato de banners, abordam, por meio de imagens e textos, temas relevantes da história do município como, por exemplo, a origem de seus bairros, a evolução do comércio local, as transformações ocorridas na paisagem local ao longo do último século, entre outros. Para agendar o empréstimo, os interessados podem ligar para os telefones 4123-8858 ou 4125-5577 ou ir diretamente ao local. Seção de Pesquisa e Documentação (Memória). Horário de atendimento: segunda a sexta, das 8h30 às 17h

 

BOX

Patrimônio

São Bernardo do Campo possui 24 bens considerados patrimônios públicos

São Bernardo do Campo tem atualmente 24 bens considerados patrimônios culturais, identidade expressa em edifícios, objetos, paisagens, costumes e tradições, nos quais são reconhecidos a história e os valores culturais dos diferentes grupos sociais que compõem a cidade. Para proteger esses bens, foi criado em 5 de junho de 1984 o Conselho Municipal do Patrimônio Histórico e Cultural do município (Compahc), vinculado à Secretaria de Cultura da Prefeitura de São Bernardo do Campo.

Formado por representantes da sociedade civil e de setores da administração municipal, o órgão propõe e realiza tombamento ou outras formas de proteção física e legal, bem como emite parecer de demolição e construção. Em São Bernardo é possível citar como patrimônio cultural os antigos pavilhões dos estúdios da Cia. Cinematográfica Vera Cruz, Chácara Silvestre, Chaminé da Av. Pery Ronchetti e Árvore dos Carvoeiros.

A partir do próximo mês, o Guia da Cidade trará informações de cada bem cultural. Quem se interessar por patrimônio, bem como assessoria técnica e administrativa do Compahc, pode visitar a Seção de Patrimônio. Rua João Pessoa, 236, Centro. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone 4337-8217.   

 

 

Compartilhar Matéria: Facebook TwitThis


Guia da Cidade
São Bernardo do Campo